Seguidores

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

ACLJ LANÇA CAMPANHA ‘TWEET PARA YOUCEF’ EM FAVOR DO PASTOR IRANIANO

Com o objetivo de pressionar e manter a visibilidade do caso do pastor iraniano cristão Youcef Nadarkhani, condenado à morte no Irã por apostasia, o Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ, na sigla em inglês) iniciou a campanha Tweet para Youcef”.

A campanha incentiva que os usuários do Twitter enviem diariamente um post para manter o caso em evidência e pressionar as autoridades locais a libertarem Nadarkhani.
Para identificar os posts da campanha, estes devem conter a menção “Via OfficialACLJ”. Além disso, o autor pode citar fatos sobre a prisão do líder religioso ou mensagens de apoio a ele.
Outras organizações, como A Voz dos Mártires EUA, também incentivam que cartas ou emails sejam escritos ao pastor com palavras de encorajamento.
O caso começou em outubro de 2009 quando Nadarkhani protestou contra a imposição das aulas de conteúdo islâmico a seus dois filhos na escola, o que é permitido por lei no país independente da religião dos alunos.
A prisão veio ano seguinte, quando após mais de dez anos atuando como líder pastoral em várias igrejas locais, Nadarkhani tentou registrar sua própria igreja.
Ele, juntamente com sua esposa e outros seguidores cristãos, foi julgado por apostasia – renúncia à religião islã – e também por tentar evangelizar muçulmanos.
O caso foi levado ao Supremo Tribunal do Irã e seu advogado, Mohammed Ali Dadkhah, argumentou que, por ele não ser muçulmano antes de se tornar pastor, tecnicamente ele não teria renunciado ao Islã.
Além disso, também foi argumentado em sua defesa a própria constituição iraniana, que prega a liberdade de expressão.
No entanto, a Suprema Corte reafirmou o “crime” sob a declaração que o líder teria ascendência muçulmana. A sentença veio como forma de intimado, ou Nadarkhani renunciava ao cristianismo, ou teria pena de morte.
O pastor repetidamente se negou a renunciar a sua fé, o que lhe rendeu a prisão até hoje e comoção pública mundial.
A casa Branca condenou publicamente a execução do pastor, assim como a secretária americana Hillary Clinton e a União Européia. Todos pedem a sua liberdade imediata.
O caso continua tramitando no Irã, país em que 99% das pessoas pertencem a famílias de tradição islâmica.
Até nesta terça-feira, 31, já são somados 841 dias que Nadarkhani está preso. O governo iraniano ainda não afirmou sua decisão final sobre sua sentença.

domingo, 29 de janeiro de 2012

BÍBLIA TRADUZIDA PARA DIALETO PATOIS GERA POLÊMICA

Sociedades Bíblicas Unidas (SBU) estará lançando em 6 de agosto uma versão da Bíblia traduzida para o idioma patois, também chamado de creole, usado na Jamaica. Mas o que é comemorado por muitos como um avanço, é criticado por outros que acreditam que essa linguagem é vulgar.
O patois foi criado pelos escravos africanos para que os colonos ingleses não soubessem do que eles estão falando e ainda hoje muitas crianças precisam ser alfabetizadas em inglês, idioma oficial do país, por só conhecerem o patois.
Ao traduzir a Bíblia para esse idioma a SBU acredita que estará aproximando a Palavra de Deus da população, mas o projeto que será lançado na data de comemoração da independência da Jamaica está gerando controvérsia.
Os que contestam a tradução da Bíblia para o patois dizem que essa língua dilui a palavra de Deus e argumentam que o inglês é insubstituível. Além disso, eles alegam que o patois é uma linguagem vulgar que não traduz o sentido sacro do Livro Sagrado.
Já os líderes religiosos da Jamaica acreditam que esse lançamento vai aproximar as pessoas da Bíblia porque traz um livro em seu idioma materno, sendo assim vai ajudar a resgatar a identidade nacional. Até mesmo o site Protestante Digital da Espanha se pronunciou sobre o caso apoiando o projeto.
Os tradutores do texto sagrado também concordam que estão resgatando a identidade daquela região ao lançar uma Bíblia na língua patois. Esses tradutores explicaram que essa língua tem um ritmo próprio, formas verbais e regras gramaticais sólidas, que outorga aos jamaicanos um sentido de pertença muito particular.
Com informações ALC

NO LIMIAR DA QUARTA ONDA

Por Jim Stier
Posso afirmar seguramente que estamos vivendo um momento especial na história de Missões. Há um sentimento geral de expectativa e Temor do Senhor. Como um profundo chamado silencioso a buscar conhecermos seus propósitos para este momento, bem como, a estarmos preparados para o que virá.
Além disso, um grande número de pessoas de fora da Missão tem nos procurado para compartilhar um sentimento semelhante de que devemos nos preparar para algo novo. Mas, que sentimento é esse? O que é isso que todos nós sentimos estar se aproximando?
No primeiro livro das Crônicas, capítulo 12, na narrativa da coroação de Davi, encontramos a história dos filhos de Issacar:
dos filhos de Issacar, conhecedores da época, para saberem o que Israel devia fazer, duzentos chefes e todos os seus irmãos sob suas ordens; I Cr. 12:32

Eles foram capazes de discernir os tempos, entendendo o que Israel deveria fazer. Uma afirmação muito interessante.
Como todos sabem, no século passado, tivemos duas grandes guerras mundiais. A primeira foi travada a partir de trincheiras. Os exércitos saíam delas para o confronto em campo aberto. Quando a guerra tinha acabado, a França decidiu que precisava se preparar para um possível conflito próximo, e criaram o que foi chamado de “Linha Maginot“. Isso foi considerado como a preparação máxima: toda a fronteira do norte da França fora transformada numa imensa linha de artilharia, fortificações, e todos os elementos necessários para repelir um ataque inimigo. Eles estavam extremamente preparados… Para a Primeira Guerra
Mas, veio a Segunda Guerra Mundial, e, então, a Alemanha havia mudado a formação do seu exército, ganhando com isso, mobilidade. Sabem o que aconteceu? O exército Alemão contornou a poderosa Linha Maginot, evitando assim o confronto direto com ela e surpreendendo as forças francesas. Toda a preparação e investimento se mostrou inútil.
Isso nos ensina que precisamos estar preparados para a Batalha. Mas, sobretudo, que precisamos estar preparados para a batalha certa. De todos os homens poderosos de Davi, talvez esses fossem os mais importantes, pois, eram aqueles que exerciam liderança sobre seus irmãos. Eram conhecedores da época para saberem o que Israel devia fazer.
Jesus também entendia que é importante para nós sabermos o que acontece ao nosso redor. Em seus dias aqui na terra, os “grandes representantes de Deus” eram os fariseus.
E aqui nesse trecho, Jesus os chama de hipócritas porque eles insistiam em não entender o tempo no qual estavam vivendo. Se vamos representar Deus a esta geração, nós não podemos cometer esse mesmo erro.
Um pouco de História
·         A Primeira Onda de Missões se deu na Inglaterra, em 1792, através de William Carey, considerado pai do movimento missionário moderno. Esta onda alcançou as regiões costeiras do mundo.
·         A Segunda Onda de Missões nasce através de gente como Hudson Taylor e C.T. Studd, e seguiu alcançando as terras desconhecidas no interior dos continentes.
·         A Terceira Onda de Missões é esta é essa na qual tem vivido a maioria de nós. A pessoa que realmente deflagrou este movimento mundialmente foi Dr. Ralph Winter durante os congressos de Billy Graham em Lausanne no início dos anos 70. Nela foram definidas certas terminologias e conceitos de missões que todos nós conhecemos, tais como: Povos não Alcançados, Janela 10×40 e outros.
Contudo, temos a impressão de que, neste exato momento, vivemos entre duas ondas. Já podemos perceber o emergir da Quarta Onda. É disso que tantos líderes e missionários têm falado com o coração cheio de empolgação e expectativas.
Nos anos 90, no auge da Terceira Onda, a taxa de crescimento da Igreja ao redor do mundo girava em torno de 7,0%. Depois da virada do milênio, esse número caiu para cerca de 1,8%. Já há alguns anos atrás, esses números começam a mudar, crescendo novamente. Sinto que isso foi como uma pausa para nos permitir recuperarmos o fôlego antes de pegarmos essa próxima onda.
Um fator de grande impacto é a mudança no cenário mundial por causa da globalização e da Internet. Tudo muda muito rápido. E a velocidade dessas mudanças continua em aceleração constante. Sabemos que a Internet hoje possui tantas conexões quanto um cérebro humano. Em mais 5.000 dias, ela terá alcançado a marca de tantas conexões quanto todos os cérebros humanos juntos na face da Terra.
Vemos também sinais de uma mudança de mentalidade acontecendo dentro do corpo de Cristo. Recentemente, alguém me deu um livro em Português sobre os “Sete Gigantes”. Acharam essa idéia na Bolívia, e trata sobre asSete Esferas da Sociedade, sobre o evangelho do Reino se expandindo. Poucos dias atrás, eu estive com John Dawson, na Suíça, quando ele me mostrou uma pilha de cartas, e-mails e mensagens impressas vindas de pessoas que entendiam estar compartilhando palavras proféticas a respeito de Jovens Com Uma Missão. Acredito que Dr. Ralph era alguém que se definiria mais como um acadêmico, um mestre. Mas, ele também era alguém que Deus usava como profeta. Em 2008, ele soube que eu estaria realizando um seminário de dois dias com Tom Bloomer durante o UniQuip, em Kona. Ele me escreveu perguntando se poderia participar. Imagine só o meu constrangimento… Respondi que sim. E ele veio e nos disse a razão de ter vindo. Disse que queria se preparar para o que chamou de “Era do Reino”, que tinha um profundo sentimento de que algo novo estava para acontecer e que ele mesmo queria participar disso. Ao deixar Kona, foi a última vez que nos vimos. Ele veio a falecer logo depois. Eu senti que, no Espírito, algo estava sendo transmitindo para nós ali. Realmente estamos no limiar da Quarta Onda.
Mas, como será esta Quarta Onda?
Eis algumas idéias pessoais sobre isso, apesar de que acredito que as coisas podem ser também diferentes do que exponho aqui.
Em primeiro lugar acredito que será uma onda com todas as gerações trabalhando juntas. Nós todos conhecemos o valor de jovens indo para missões. Se vamos a uma conferência missionária e alguém faz um apelo, a esmagadora maioria dos que vêm à frente é composta de jovens. Eles erguem as mãos e choram. E oram dizendo: “Senhor, eu te dou tudo que tenho por missões!“. Na verdade, a grande maioria desses não tem lá muita coisa mesmo… Mas, é exatamente esse o ponto: eles estão prontos para ir. São flexíveis, aprendem bem, têm um espírito de aventura. Não possuem nada que os prenda. Mas, também entendemos que precisamos envolver as crianças. Precisamos alcançá-las, especialmente porque a maioria das pessoas é salva ainda quando criança. Mas, não podemos colocá-las em algum clube esperando que se tornem adultas. Precisamos lhes dar participação significativa. Temos os mais idosos também. Costumamos comparar isso com uma corrida de revezamento em que passamos o bastão para a próxima geração. Mas, se é dessa forma, a antiga geração tem de, vez por outra, parar de correr. Mas, ninguém quer que paremos de correr. Pelo menos, isso é o consenso entre nós, velhos corredores…
Penso que isso não deveria ser visto com uma corrida de revezamento, mas sim, como uma maratona em que cada um de nós carrega uma tocha acesa durante o curso da vida aqui na Terra. E a minha geração acenderá a tocha da próxima geração. Eu não entregarei a você a minha, mas, depois de acender a sua, seguirei minha jornada com ela até o fim. Teremos todas as gerações correndo juntas.
Será uma onda verdadeiramente internacional. Não teremos “Nativos”, “Afro-Brasileiros”, “Europeus” ou “Americanos”. Teremos cristãos trabalhando juntos, obedecendo a Deus como irmãos, ombro a ombro, ganhando o mundo. Hoje, em números, Jocumeiros vêm primeiro dos Estados Unidos, seguidos pela Coréia em segundo lugar, Brasil em terceiro e pela Índia em quarto. Em breve, acredito que o primeiro lugar será ocupado pela China.
Será uma onda globalizada. Com a democratização de recursos, conhecimento e da Comunicação, todos podem fazer a diferença. Precisamos usar efetivamente essas ferramentas de Tecnologia. Isso será uma oportunidade de ministério para muitos jocumeiros, a partir dos quais, podem surgir lideranças dos lugares mais improváveis do mundo.
Será uma onda onde a Oralidade será enfatizada como nunca antes visto. O que descrevo como Oralidadenão é necessariamente o que os Missiólogos descrevem agora. Oralidade significa para mim a adaptação que você faz da sua mensagem de uma forma tal que seja compreendida. A maioria das pessoas guarda histórias com mais facilidade que roteiros, listas e informações lineares. Pessoas guardam na memória poemas, música, ou um bom vídeo. Nesse tempo, é nosso desafio fazer a nossa mensagem passível de memorização. O mundo globalizado tem um termo que descreve bem isso. É a chamada mensagem viral: algo que se espalha pelo mundo, sem que alguém necessariamente esteja empenhado para promovê-la. Há algum tempo atrás, estive num lugar remoto, na região do Himalaia, no meio do nada. Nenhuma igreja, ninguém pregando o Evangelho. Tivemos oportunidade de seguirmos até o Tibet. Na medida em que nos aproximávamos da fronteira, fomos parados várias vezes para a verificação de documentos. Mas, um dos guardas olhou o passaporte de uma das pessoas que estavam comigo, cujo nome é Michael e, imediatamente, exclamou: “Michael… Michael Jackson! I’m Bad, I’m Bad…!” Confesso que fiquei envergonhado… Por que o Evangelho ainda não havia chegado onde Michael Jackson já estava? Precisamos de uma mensagem de natureza viral, e apenas Deus pode nos dar essa criatividade.
Será uma onda que romperá com estruturas meramente eclesiásticas, sendo carregada por pessoas em outras esferas. Esse será o nosso grande teste, pois, até hoje, fazer missões, sempre foi um trabalho das agências missionárias, de algumas igrejas locais, ou de modalidades. Mas, sempre sob o controle eclesiástico. Precisamos abrir mão desse controle, para que isto aconteça. Entender o espírito de João Batista, diminuindo para que Ele cresça, seja visto nessa onda, uma vez que veremos políticos, músicos, homens de negócios, intelectuais, etc expandindo o Reino de Deus pelo mundo afora.
Será uma onda de abrangência e orientação mundial. Não existirá mais a mentalidade de que apenas alguns países são “campos missionários”. Todos os países precisam de mais do Reino de Deus. Não perderemos o foco nos não-alcançados, iremos onde ainda não estamos. A maior injustiça no mundo é a de que muitos ainda não ouviram o Evangelho e precisamos consertar isso. Mas, veremos todos os países como campos missionários.
Será a onda de todos. É o momento a que chegaremos a todos, em todos os lugares, em todas as esferas, a todas as gerações. Se Michael Jackson pode chegar ao Himalaia, nós podemos alcançar a todos.
Será uma onda marcada por uma unção de unidade. Estive no primeiro congresso Call2All, em Orlando, nos Estados Unidos, e pude ver a diversidade de representantes presentes. Esse será um tempo de grande unidade no corpo de Cristo. Tradicionais trabalhando lado a lado de pentecostais e carismáticos. Representantes dos movimentos de oração servindo ao lado de teólogos conservadores. É a resposta a oração de Jesus em João 17. Todo esse movimento, alimentado pelo Espírito Santo de Deus, fará a história dos grandes avivamentos que conhecemos no passado parecerem pequenos eventos diante do novo fogo de Deus varrendo o planeta.
Para muitos de vocês que agora lêem essas considerações, algumas não são novidades. São coisas que já fazem parte do seu dia-a-dia, ou, que você já ouviu em algum outro lugar. Eu estou convicto de que essa Quarta Onda nasce a partir do legado e influência de pessoas como Bill Bright, fundador da Cruzada Estudantil, Loren Cunningham, etc. Uma grande maioria de todas estas coisas já fazem parte de nosso DNA e de nossos fundamentos como missão.
Mas, aqui estamos nós, para um tempo como este. Então, qual deve ser a nossa postura?
1. Precisamos de um senso de entendimento do presente momento que vivemos em Missões. Esta nova onda não anula ou exclui a anterior, mas sim, a complementa. Precisamos ter os olhos abertos para enxergar a visão de Deus, ver o mundo ao nosso redor com nitidez. Precisamos ter ouvidos prontos para ouvir e receber direção de Deus. Discipular nações é algo muito complexo para que façamos por nós mesmos. A única maneira de estarmos preparados para isso é ouvindo a voz de Deus e obedecendo.
2. Precisamos ser co-criadores com Deus. Precisamos de inovação constante. Hoje, no mundo empresarial, corporações atualizam sua imagem a cada quatro anos e nove meses. Essa é a velocidade de mudança no mundo. Para competir com esse ritmo, precisamos ser co-criadores e não criarmos nós mesmos. Transformar nossas equipes em um modelo de sinergia e dinamismo criativo. Esforços solitários não serão capazes de seguir adiante por muito tempo. Precisamos uns dos outros.
3. Precisamos de fome e sede de novas idéias e métodos mais efetivos. É uma época muito ruim para sermos pessoas que simplesmente “sabem como fazer”, porque, se você sabe como fazer, fatalmente não irá aprender. Mas, é uma época muito apropriada para aqueles que desejam aprender. Precisamos depender unicamente de Deus, respondendo em obediência à sua vontade, dizendo: “Senhor, não sei como isso será feito, mas, se é a Tua vontade, eu farei”.
Claro que um extenso número de outros itens pode ser acrescentado a essas considerações. E como disse, muitos deles, são coisas que já estão contidas no DNA de Jovens Com Uma Missão. Tenho um profundo sentimento de que Deus esteve nos preparando durante esses 50 anos, guardando-nos para vivermos um tempo como este.
Por Jim Stier em 12 de Setembro de 2009, durante o Workshop da Universidade das Nações em Worcester, África do Sul. Edição: Adriano Estevam. Revisão: Saulo Xavier.

Publicado no site JOCUM EM FAMÍLIA em 01.05.2011

sábado, 28 de janeiro de 2012

GRUPO MILITAR DE ELITE RESPONSÁVEL PELA MORTE DE OSAMA BIN LADEN RESGATA MISSIONÁRIA NA SOMÁLIA

Jessica Buchanan, de 32 anos, é uma missionária norte-americana que atua em trabalhos voluntários no continente africano. Ela trabalhava como voluntária na organização Danish Demining Group, que pertence ao Conselho Dinamarquês para os Refugiados, onde era conselheira regional de educação.
Segundo o Reverendo Don Meyer, reitor da Universidade Valley Forge, a missionária “se apaixonou pela África”, ele afirma que “ela mal conseguia falar sobre a África, sem ficar com lágrimas nos olhos”.
Poul Hagen Thisted
Buchanan foi sequestrada no dia 25 de outubro de 2011 junto com seu colega dinamarquês Poul Hagen Thisted, 60, quando os dois estavam na cidade de Galkayo. Os dois trabalhavam juntos para o grupo dinamarquês de retiradas de minas terrestres.
Durante os três meses que a missionária ficou no cativeiro sua família e amigos fizeram correntes de oração pedindo por sua vida: “Por favor, orem por Jessica e sua família. Ela é ex-aluna da Valley Forge e vendeu tudo que possuía para se tornar missionária na Somália. Ore para que Deus a guarde e a traga de volta em segurança”, dizia um pedido de oração feito no site de sua igreja.
A família recorreu também aos órgãos públicos dos EUA, quando o sequestro foi noticiado na mídia americana o Departamento de Estado foi acionado e, segundo o porta-voz do Pentágono, George Little, uma missão arriscada foi planejada.
De acordo com o portal Terra o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou uma missão de resgate executada pelo comando de forças especiais da Marinha de Guerra dos Estados Unidos (SEALS), da mesma unidade que em abril matou em uma incursão no Paquistão o chefe da organização terrorista Al Qaeda, Osama Bin Laden. A missão foi organizada com urgência por causa das preocupações crescentes com o estado de saúde de Buchanan.
Depois do resgate o presidente Obama escreveu uma declaração na qual disse: “Graças à coragem extraordinária e à capacidade de nossas Forças de Operações Especiais, Jessica Buchanan foi resgatada e está a caminho de casa”. O próprio presidente comunicou por telefone ao pai da missionária que ela havia sido resgatada.
Um colega da missionária, John Hravatic, que trabalhou com ela em Nairobi, disse que ela é “aventureira e cheia de vida” e, por ela amar a África, não será surpresa se voltar para lá e terminar sua missão.
Fonte: Gospel+

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

CORÉIA DO NORTE - COM NOVO GOVERNO, IGREJA SUBTERRÂNEA TEME MAIOR PERSEGUIÇÃO

Desde a morte inesperada do líder norte-coreano Kim Jong-Il em 17 de dezembro, que deu o poder do país para seu filho Kim Jong Un, a igreja subterrânea da Coréia do Norte tem visto e enfrentando uma crescente perseguição.
     Há três semanas, sete igrejas subterrâneas foram descobertas na Coreia do Norte”, disse Thomas Kim, diretor-executivo do Ministério Cornerstone, que está ativamente envolvido em servir a igreja norte-coreana. “Tem sido muito difícil para eles”, disse ele.
     A liderança do país, aparentemente, está com medo que aconteça no país o que aconteceu em alguns países do Oriente Médio durante a Primavera Árabe. “Eles estão com medo da população se revoltar”, observa Kim.
     Ele estão assustados com a expansão da fé cristã, porque os cristãos do país não tem medo de morrer pelo que acreditam”.
    As autoridades que estão próximas a Kim Jong-Um estão ansiosas para que a transição de governo seja feita de modo tranquilo, e isso está impactando a igreja. “O regime tem colocado mais pressão sobre a igreja para estabilizar a sociedade”, disse Kim.
    Nos meses que precederam a morte de Kim Jong-Il, houve poucas pesquisas para se ter noção de quantos cristãos estão envolvidos em igrejas subterrâneas, mas isso mudou e o governo está fiscalizando tudo de perto agora.
    Agora, o regime está enviando pessoas para que possam se infiltrar nas igrejas clandestinas. Os cristãos norte-coreanos precisam mais do que nunca de nossas orações”, disse Kim.
    Kim acredita que uma mudança virá quando os conselheiros de Kim Jong Un forem substituídos por pessoas mais jovens. “As pessoas que estão ao redor de Jong Un estão no governo há muito tempo. É provável que até os conselheiros do presidente sejam mudados”, observa Kim.
    A comunidade internacional deve continuar a aplicar pressão sobre a Coreia do Norte para ela conceda mais liberdade para seus cidadãos. Ore para que essa liberdade seja concedida e para que os cristãos possam ter mais liberdade para praticar a sua fé no país.
Data: 23/1/2012 08:39:57
Fonte:
 O Diário
VIA: CREIO

EVANGELISTA É PRESO E ESPANCADO NO SUDÃO

O evangelista James Kat, da Igreja Evangélica do Sudão, foi preso na terça-feira (17 de janeiro) pela manhã por policiais. Ele foi espancado enquanto estava sendo levado para a delegacia de polícia da Divisão Norte, disseram as fontes. Ele foi libertado no mesmo dia.
A polícia prendeu James, que mora dentro da propriedade da igreja, porque aparentemente ele estava usando o edifício da igreja como sua moradia. “Eles forçaram ele a ir para a delegacia”, disse uma testemunha.
A prisão aconteceu  em meio a crescente perseguição que os cristãos tem sofrido dentro do país por parte das autoridades sudanesas desde que o país se dividiu em julho do ano passado.
Em uma casa para os líderes da Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão (SPEC), as autoridades ameaçaram prender os pastores que realizassem atividades evangelísticas e que não fornecessem as informações sobre os membros de suas igrejas.
Outro líder de igreja foi preso na segunda-feira passada (16 de janeiro) quando a polícia tentou ocupar a força a propriedade da SPEC, que o tribunal concedeu o direito injustamente de os muçulmanos ocuparem o lugar, segundo informações de cristãos.
As autoridades do país estão apoiando pessoas como o empresário muçulmano Osman al Tayeb, que está liderando a ação para possuir a propriedade da igreja. “O governo está tentando se envolver nos assuntos da igreja, apoiando pessoas que são extremistas religiosos”, disse um líder da igreja.
A violência contra os cristãos tem crescido assustadoramente no Sudão. Ore pelos cristãos que vivem em Cartum, e principalmente pelo pastor que foi preso na semana passada. Ore para que o Senhor dê ânimo para que eles continuem a caminhada que Deus preparou para eles.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Um Projeto Missionário – SPA Resort Guanxi

Vieram, tanto homens como mulheres, todos quantos eram bem dispostos de coração, trazendo broches, pendentes, anéis e braceletes, sendo todos estes jóias de ouro; assim veio todo aquele que queria fazer oferta de ouro ao Senhor”. Ex 35.22
Queridos amigos
Graça e Paz
Temos visto que o povo de Deus tem mudado o curso da história com ofertas para projetos que glorificam o seu nome. A família Grinberg, Verner e Emília, fundadores de Monte Verde, sempre investiu em projetos que glorificaram o nome do Senhor. Eles doaram mais de sessenta carros a pastores e missionários, isto numa época que era raro um pastor ou missionário adquirirem um. Também doaram mais de sessenta propriedades para igrejas e missões e dois aviões; uma para a missão letã (imigrantes da Letônia) na Bolívia onde trabalhamos entre os índios aioreos, e outro para Asas de Socorro que trabalha servindo os missionários na região amazônica. Eles doaram a propriedade de 30.000m2 para Horizontes e isto foi fruto de uma visão dada à irmã Emília, confidenciada a Cleonice, de que o local seria um celeiro de obreiros, como uma rocha que soltava pedras para serem lapidadas e que iriam brilhar nas nações. Além disso financiou muitos missionários. Cremos que eles já receberam os seus galardões, pois foram promovidos há pouco tempo, ele com 96 e ela com 98 anos de vida a serviço do Rei Jesus com os bens recebidos do Pai.

Monte Verde – A Suiça Mineira

Situada a 160 km de São Paulo, no sul de Minas, na serra da Mantiqueira, rodeada de muito verde e com arquitetura européia, a “Suíça Mineira”, como é conhecida, é sinônimo de requinte e sofisticação para aqueles que procuram momentos de lazer e descontração a uma altitude superior a 1500 metros! Você se sentirá num verdadeiro paraíso ecológico! Além do clima europeu, ela oferece vasta gastronomia, galerias, mini shoppings, lojas de queijos, doces, chocolates e muito mais! Monte Verde atrai inúmeros turistas que buscam paisagens belas, temperaturas baixas, ar puro e oferece a eles as seguintes atrações: Passeios a cavalo, roteiros para passeios de jipe; Arborismo; Trenzinho; Passeios com avião de pequeno porte; Patinação no gelo; Passeios pelas trilhas até o topo das montanhas onde o nascer e o por do sol, vistos desses picos, geram magníficas e inesquecíveis paisagens.

Um Projeto Missionário – SPA Resort Guanxi 

Em Fevereiro/2011 iniciamos, pela fé, um novo charmoso Guanxi, em mandarim significa relacionamento, com 46 suítes nas categorias luxo e máster. O edifício tem cinco andares com ótima infra-estrutura: SPA, sauna, piscina aquecida e salão de café com vista panorâmica.Cremos que esse empreendimento servirá de suporte e abençoará missões juntamente com a igreja brasileira.
Graças a Deus já concluímos 10 suítes luxo e duas másters com toda a infra-estrutura de hospedagem de uma estância turística como Monte Verde. As suítes da categoria luxo são sofisticadas, contendo cama Box Queen/ TV LCD/ aquecedor de ambiente com decoração de muito bom gosto para o seu total conforto. As suítes da categoria máster, além de sofisticadas, são super requintadas: possuem dois ambientes com cama Box Queen/ TV LCD / Lareira/ hidromassagem dupla/ ducha dupla/ lavatório duplo e decoração de primeira linha. Optamos em fazer algo especial para que seu conforto seja pleno.
Alvo estratégico anual
No ano passado nós estabelecemos o objetivo de receber 4.000 cristãos anualmente em nossa base em Monte Verde, pois queremos expô-los aos tremendos desafios missionários dos povos não alcançados e, para alcançarmos tal objetivo, estamos oferecendo uma estadia gratuita a todos os investidores da Missão. Além de que eles terão o privilégio de estar num lugar onde milhares de visitantes se hospedam. A cidade possui 196 hotéis e pousadas.
O grande desafio de conclusão
Para concluir o edifício precisamos levantar R$ 1.200.000,00. Nesse sentido, lançamos uma campanha para terminar o edifício até o final de 2012. O nosso administrador Aristóphones nos disse que se concluíssemos até 2013 já seria uma grande vitória.
A necessidade urgente
Nós queremos comprar urgentemente os itens abaixo para habilitar o primeiro piso com 10 suítes luxo e duas másters e todo o acabamento externo até a próxima páscoa, pois deveremos ter um encontro de ex-alunos do IBAD. Um tremendo desafio! 
• Uma caixa d'água de 15.000 litros com 12 metros de altura de pé direito - o custo estimado é de R$ 20.000,00 – isto para ter queda por gravidade.
• Uma bomba d'água para o poço artesiano – custo estimado de R$ 5.500,00.
• Selador e Tintas para a parte externa, corredor e seis suítes.
• Vidros para as Janelas, venezianas, mirante, varanda, etc.
• Boxes para os banheiros, camas boxes, lençóis e edredons, armários, mesas e cadeiras para seis suítes.
Após ainda temos que habilitar a cozinha no próprio edifício, elevador e as despesas maiores dos outros andares e área de lazer.
O alvo é ter 1000 parceiros e amigos da Horizontes que contribuam com:
1. R$50,00 mensais por 12 meses. A contribuição dará direito a um final de semana na suíte luxo;
2. R$100,00 mensais por 12 meses. Essa contribuição dará a você uma semana na suíte luxo;
3. R$200,00 mensais por 12 meses. Você terá um final de semana na suíte máster;
4. R$300,00 mensais por 12 meses. Você poderá descansar por uma semana na suíte máster.
Como desfrutar da campanha
A mesma pode ser feita para grupos como: Encontro de casais, círculos de oração, adolescentes e jovens. Vejamos se cada adolescente/jovem contribuir com R$ 25.00 mensais durante 12 meses pode ficar um final de semana no Hotel, chegando na sexta à tarde e saindo no domingo à tarde e com café da manhã. 
Contamos com seu apoio e o convidamos a unir-se conosco nesta nova etapa para que, ao final dela, possa vir e ver de perto aqueles que o Senhor tem levantado para encarar o grande desafio: alcançar os povos não alcançados da terra em nossa geração.
No amor do Mestre,
Cleonice e David Botelho
Obs.: Temos uma apresentação em Power Point que se solicitada a enviaremos.
O investimento feito é inferior ao custo de uma suíte similar nos hotéis da cidade.
Informações: reservas@mhorizontes.org.br ou pelo telefone (35) 3438-1546
*As estadias não contemplam feriados prolongados e os meses de Junho e Julho.
**Inclui o café da manhã e serviço de quarto.